Amor não correspondido: a pessoa te adora, mas não te namora

Amor não correspondido: a pessoa te adora, mas não te namora

Você conheceu uma pessoa e está começando a se interessar mais profundamente por ela. Uma vez que tal sentimento tenha surgido, existiria um tempo ideal para demonstrar seu interesse em um relacionamento sério?

Surgem alguns questionamentos conflituosos em seu coração:

“Será que essa pessoa sente o mesmo por mim?”

“E se ela não desejar ter uma relação nesse momento e achar que estou pressionando-a?”

Infelizmente não existe um manual de instruções para esclarecer tais dúvidas. Cada pessoa é única e a criação de um vínculo é algo que demanda tempo, convivência e expectativas alinhadas (em uma relação ambos devem querer a mesma coisa e, naturalmente, no mesmo tempo – não daqui a uma semana, daqui a alguns meses, daqui a um ano).

Talvez, se procurarmos bem, até poderemos encontrar algumas orientações e conselhos no que diz respeito a arte da conquista. Você já deve ter lido a respeito ou ouvido de alguém coisas do tipo: “fazer joguinhos”, “demonstrar que não está tão interessado(a) quanto de fato está”, “tomar chá de sumiço a fim de que o outro sinta sua falta” etc. Entretanto, pergunto: por quanto tempo é válido agir dessa maneira tão artificial e previamente planejada? Vale a pena mascarar seus sentimentos, a fim de que com isso a outra pessoa passe a gostar e se interessar mais por você? Será que isso seria possível? E mais até do que isso: será mesmo necessário?

Pode ser também que você já tenha deixado claro suas expectativas e sentimentos, mas sem ser correspondido até o momento. Pode ser, inclusive, que esteja recebendo (e aceitando em silêncio e de maneira angustiada e esperançosa) as justificativas que o outro vem usando para deixar claro que não deseja ter um relacionamento mais sério no momento. Essas justificativas podem ser de vários tipos (e não significa que a pessoa em questão esteja, realmente mentindo): talvez ela tenha saído recentemente de um outro relacionamento e não se sinta pronta para começar algo novo ainda, pode ser que ela esteja vivendo um momento no qual não queira, realmente, se comprometer com alguém, bem como pode ser ainda (por mais doloroso que isso pareça) que ela não queira, especificamente, se relacionar com você.

O ponto principal aqui é que, não importam os motivos (verdadeiros ou não) que o outro utiliza para deixar claro que não busca um relacionamento agora. O que realmente importa é o que você quer fazer com isso.

Uma primeira opção seria se resignar a esperar que o outro esteja pronto para almejar o mesmo que você. Nesse caso é importante considerar também que talvez isso nunca aconteça. Ainda assim, feita de maneira consciente, ainda é uma escolha sua.

A segunda opção seria agradecer o tempo que passaram juntos, mas deixando claro que o seu objetivo está em direção oposta, que você busca uma relação nesse momento, que não espera nada menos do que reciprocidade.

Pode parecer uma escolha mais difícil de ser feita, porque provavelmente implica o distanciamento de alguém por quem se tenha começado a sentir afeto. Entretanto, como em muitas circunstâncias da vida, algumas perdas trazem ganhos. Afastar-se de alguém que não gosta de você o suficiente para se comprometer passa a ser uma decisão que possibilita o surgimento de novas histórias, pessoas e experiências.

Nesse processo você pode encontrar não aquilo que busca incessantemente, mas sim aquilo que realmente merece.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *